Aprendi…

Já li muito, escrevi um pouco. Fiz uma faculdade de psicologia para conhecer melhor as pessoas e achava que me conheceria melhor também.
Mas aprendi muito mais sobre mim e sobre os outros nesses últimos cinco anos do que em toda minha vida.
Quando minha primeira filha nasceu aprendi o significado real de abnegação. No dicionário significa “ação caracterizada pelo desprendimento e altruísmo, em que a superação das tendências egoísticas da personalidade é conquistada em benefício de uma pessoa, causa ou princípio; dedicação extrema; altruísmo.” Na minha prática, significa que eu literalmente cairia mil vezes para impedir que minha filha tropeçasse emocionalmente ou fisicamente.
Quando minha segunda filha nasceu, aprendemos juntos a dividir. Precisei aprender para poder ensinar. Aprendi que meu coração é muito maior do que pensava e que o coração humano não responde operações matemáticas simples: quando você o reparte ele aumenta. Só então aprendi de fato o que é amar ao próximo como a mim mesma. Aprendi que ser flexível não significa ser fraca e que mudar de opinião não me diminui. Aprendi que posso mudar muitas vezes em uma vida e que não preciso ser escrava de antigas decisões.
Com minha terceira filha pude ver que sou mais forte do que acreditava e que consigo ser esteio de outras vidas.
Vi que meu amor é infinito, mas que também sou humana e chego a exaustão. Querer fugir em alguns momentos não desqualifica meu amor. Porque eu não fujo, eu fico. E se fugisse, contrariando a lógica minha família estaria em meus planos de fuga. Aprendi que o “nós” é sempre melhor do que “eu”. Aprendi a me perdoar. Consegui perdoar as falhas da minha criação, já que a minha também está longe de ser infalível. Aprendi a respeitar todas as mães, independentemente de suas histórias. Às vezes, só se faz o melhor que pode. Acolher a si mesma e as demais preenche nosso ser.
Com todas minhas filhas aprendi que o amor é simples e complexo. Assim como a vida, assim como eu, assim como elas. Por isso desisti de encontrar todas as respostas certas porque o certo não é certo o tempo todo. Só o amor é.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>