Carpe Diem. Sobre tatuagens com novos significados.

Carpe Diem é uma frase em latim de um poema de Horácio, e é popularmente traduzida para colha o dia ou aproveite o momento.

Fiz essa tatuagem com 20 anos no último ano da faculdade, Carpe Diem era verdadeiramente meu lema de vida! Mas meu povo, e agora? Como não pensar no futuro quando se tem dois filhos? Como não pensar em todos os gastos com escola, inglês, natação, ballet, etc etc etc ? IMPOSSÍVEL!! Por esse motivo, cheguei mesmo a pensar que essa tatuagem tinha sido um erro e que eu deveria ter esperado ter filhos antes de fazê-la.

Hoje já encontrei um equilíbrio e voltei a gostar dela. Gosto porque ela me traz para o presente, ela me lembra que apesar das tantas preocupações que tenho com o futuro das minhas filhas, não posso esquecer do hoje. Não posso esquecer que o tempo passa rápido demais quando se tem filhos e que a cada manhã você os vê diferente de quando os colocou para dormir. Cada barulhinho, cada sorriso, cada palavra errada dita, cada “eu te amo mamãe” são únicos. Não se pode colocá-los em uma garrafinha para abrir depois. Você pisca e seu bebê está engatinhando pela casa, você pisca e ele está andando, pisca de novo e foi pra escola. “O tempo não para, e a gente ainda passa correndo.”

Tento me lembrar sempre que não sou eterna, mas quero sim ser eterna na vida das minhas filhas e para que isso aconteça é hoje que tenho que viver com elas suas descobertas. É hoje que o mundo acontece! O futuro chegará logo e o que eu faço hoje é o que definirá o nosso amanhã! Boa semana! Carpe Diem.



Carpe diem quam minimum credula postero.

Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi finem di dederint.

Leuconoe, nec Babylonios
temptaris numeros.

Ut melius, quidquid erit, pati.

Seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam, quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare.

Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invida.

Aetas: carpe diem quam minimum credula postero.

Tradução:

Colha o dia, confia o mínimo no amanhã.

Não perguntes, saber é proibido, o fim que os deuses darão a mim ou a você,

Leuconoe, com os adivinhos da Babilônia não brinque.

É melhor apenas lidar com o que cruza o seu caminho.

Se muitos invernos Júpiter te dará ou se este é o último, que agora bate nas rochas da praia com as ondas do mar.

Tirreno: seja sábio, beba seu vinho e para o curto prazo reescale suas esperanças.

Mesmo enquanto falamos, o tempo ciumento está fugindo de nós.

Colha o dia, confia o mínimo no amanhã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>