Dia dos pais, 5 anos depois

Dia dos pais

Entrei na maternidade sem saber o que era ser mãe, quem dirá o que era ser pai. Eu cheguei com ideias pré-concebidas que foram passadas de geração pra geração. Eu achei que só eu sabia o que era certo, porque afinal, ‘o filho é da mãe’.  Me disseram que ‘pai não sabe fazer nada direito’, e que no final das contas, eu tinha era que agradecer porque ‘ele me ajudava muito’. ‘Que sorte você tem!’, eu já ouvi dizer.  Me passaram a ideia esdrúxula, de que ‘o boi berra é pela vaca, e não pelo bezerro’. ‘Cuida do seu marido, porque senão ele não vai querer ser pai!’

Eu conheci um pai que também não sabia o que fazer, mas estava disposto a aprender. Determinado a fazer diferente do que os caras em volta dele faziam.  Juntos descontruímos e construímos outras verdades. Começamos com colocar para arrotar, se ele não podia amamentar, ele podia colocar pra arrotar. E se eu não tive um sucesso imediato com a amamentação porque ele teria que ter com a dinâmica do arroto? Mas ele aprendeu, tivemos um episódio já no hospital que ensinou que precisa colocar em pé depois que mama. Não, ele não sabia. Mas ele aprendeu. Parece tudo simples e natural quando se trata de um filho, mas não é, até você ter um.

Em casa, as fraldas passaram a ser dele. Todas. Vou te dizer, 40 minutos para trocar uma fralda era sua média! Mas ele tinha uma filha, que precisava trocar em média 5 fraldas em uma madrugada. O que é melhor que a prática para aprender? Ele aprendeu, e  eu aprendi também. Aprendi tanta coisa com essas fraldas que eu levo pra vida! Tanto faz o jeito que ele faz pra trocar a fralda, o resultado final é igual ao meu.  Tanto faz quanto tempo demora. A gente quer tanto participação, mas quer que a participação seja exclusivamente do nosso jeito. Eu aprendi também que as crianças precisam de outro modelo de cuidado, um pouco destrambelhado talvez.  E mais do que qualquer outra coisa, aprendi que ninguém nasce sabendo trocar fralda. Assim como ninguém nasce sabendo como é ser pai. Mas a prática, a vivência, a vontade e uma dose grande de amor que permitem  que cada homem encontre o melhor jeito de ser pai. O homem que eu conheci encontrou. Parabéns a ele por não ter desistido e continuar seguindo nessa busca! Feliz dia dos pais meu amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>