Dicas para uma adaptação escolar mais tranquila

Adaptação escolar não precisa ser um tormento!

Adaptação escolar não precisa ser uma expressão que causa arrepios. É algo que faz parte do crescimento de nossos filhos e nosso também, afinal, não podemos criar filhos em gaiolas. Já falei sobre como foi a adaptação escolar da Valentina e hoje vou escrever o que gostaria de ter lido: 10 dicas para uma adaptação escolar mais tranquila.

1- Tenha absoluta certeza de que você confia na escola como um todo, isso fará toda a diferença na forma como você se sentirá na hora de deixar seu filho aos cuidados de outras pessoas. Tudo deve ser investigado direção, professores, funcionários, alimentação, propostas e espaço físico. O MEC cita aspectos interessantes que devem ser observados em relação à escola:

•    A instituição tem autorização de funcionamento expedida pela Secretaria Municipal de Educação?
•    O alvará sanitário está afixado em lugar visível?
•    A instituição tem proposta pedagógica em forma de documento?
•    Reuniões e entrevistas com familiares são realizadas em horários adequados à participação das famílias?
•    Há reuniões com familiares pelo menos três vezes por ano?
•    Os familiares recebem relatórios sobre as vivências, produções e aprendizagens pelo menos duas vezes ao ano?
•    A instituição permite a entrada dos familiares em qualquer horário?
•    Existe local adequado para receber os pais ou familiares? E para aleitamento materno?
•    As professoras têm, no mínimo, a formação em nível médio, Magistério?
•    Há no mínimo uma professora para cada agrupamento de:
6 a 8 crianças de 0 a 2 anos?
15 crianças de 3 anos?
20 crianças de 4 até 6 anos?
•    As salas de atividades e demais ambientes internos e externos são agradáveis, limpos, ventilados e tranquilos, com acústica que permite uma boa comunicação?
•    O lixo é retirado diariamente dos ambientes internos e externos?
•    A instituição protege todos os pontos potencialmente perigosos do prédio para garantir a circulação segura das crianças e evitar acidentes?
•    A instituição tem procedimentos preestabelecidos que devem ser tomados em caso de acidentes?

2-  Uma semana antes de iniciar as aulas compre com ele seus materiais escolares, deixe-o escolher seus personagens favoritos e explique que em breve ele irá para escola. Diga o que ele vai fazer lá com alegria e entusiasmo. Cuidado para não fazer as compras um tempo longo demais, porque isso gerará ansiedade e insegurança na criança.

3- Cuidado com o entusiasmo excessivo para que a criança não se frustre. Afinal, não é uma colônia de férias e a criança terá horários para se alimentar, brincar e terá que dividir brinquedos. Para muitas crianças essa será a primeira vez que terão contatos com outras crianças e horários definidos.

4- Nunca, em hipótese alguma, chore na frente do seu filho. Demonstre segurança de que aquele é um lugar bom para ele ficar. Se você chora na sua frente, fica claro para ele que ali não é um bom lugar para ele ficar, já que a mamãe está tão triste.

5- Se a criança já andar, entre na escola com a criança andando e não no colo. Isso facilitará na hora que ela entrar e a deixará confiante. Se puder, deixe que a criança carregue sua mochila.

6- Fale para a criança que ela vai ficar com seus novos amigos por um tempo, mas que você irá voltar para buscá-la. Diga a ela: A mamãe sempre volta. Muitas vezes deixamos de verbalizar porque achamos que as crianças já sabem disso, mas elas não sabem, por isso a importância de dizer para a criança de forma que ela entenda.

7- Deixe que a criança leve para a escola um objeto de transição, como um urso ou algo que ela se sinta confortável. Vale também colocar uma foto em sua mochilinha para que ela possa ver sempre que quiser. A memória das crianças pequenas não funciona como as nossas, dessa maneira ela não tem a todo momento a sua imagem em sua cabecinha e por isso pode ficar desorientada.

8- Se o seu instinto materno dizer que tem algo errado com a escola: ouça!! Muitas vezes não sabemos o que está acontecendo, mas algo não parece bem. Se isso acontecer com você, não ignore e procure descobrir o que está errado. Repare se a criança aparece com marcas estranhas, se ela se recusa a comer, a brincar. Esses comportamentos no início são normais, mas depois de determinado tempo se eles continuarem é prudente verificar o que está acontecendo. Faça visitas surpresas na escola, converse com outros pais, converse com a criança.

9 – Seja amiga da escola. Saiba o nome dos professores, educadores, secretárias e diretores. A coordenação pedagógica da escola apoia não somente a adaptação escolar das crianças, mas também dos pais. Dê lembrancinhas (a ideia não é gastar rios de dinheiro, uma carta já é muita gentileza), em datas comemorativas. Deixe que os professores saibam o quanto você é grata por esse momento que eles passam com seus filhos. Eles irão se lembrar disso.

10- Por fim, respire fundo e repita o mantra: Vai passar, vai passar, vai passar! Eu sei que parece que não vai passar. A sensação é de um buraco no peito, é muito difícil deixar nossos filhos com pessoas que não conhecemos. É é difícil para a criança também seguir regras e conviver com pessoas que ela nunca viu. Tenha a certeza de que é difícil para ambas as partes, mas que vai passar. O tempo de adaptação escolar é muito relativo, algumas crianças (e mães) passam por ela mais tranquilamente, outras demoram um pouco mais. As duas situações são normais.

Algumas perguntas podem ajudar a entender como as crianças estão passando pela adaptação escolar. Evite perguntas fechadas que podem ser respondidas com sim ou não. Exemplo:  Pergunte qual é o nome das professoras e de outros funcionários e dos amiguinhos. Pergunte à criança o que ela mais gostou de fazer naquele dia, incentive a criança a contar e a narrar situações vividas. Pergunte quais foram as músicas que ela cantou ou ouviu,  quais brincadeiras aconteceram, que pinturas, desenhos, esculturas ela fez, qual livro a professora leu, que história a professora contou, o que ela está aprendendo, se aconteceu algo que ela não gostou, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>