Entrega, muita entrega

Entrega, muita entrega. Não acho que ser mãe seja para todas as mulheres. Mas foi pra mim. Eu me encontrei aqui em meio a uma tremenda sensação de pertencimento. Eu pertenço a elas e elas a mim.
Me achei nas perdas. Perdi muito da minha identidade, aceitei um novo corpo e pra ser sincera uma nova personalidade. Me reconstrui. Achei uma pérola fechada em uma ostra! E olha que eu achava bem legal ser uma ostra! Gostava de ser diferente. Hoje fico tão feliz no comum, no meu mundinho simples com ambições palpáveis. Eu sempre queria algo que não tinha. Não importa o que tivesse, queria algo maior, era o inatingível que eu queria!
Hoje sinto e sei que tenho muito mais do que já esperei que a vida me traria. Eu sou tão amada, amo tanto. O que pode ser maior do que o amor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>