Enxoval: o que é necessário e o que não é?

O que comprar e o que não comprar no enxoval?

Algumas pessoas pediram para que eu escrevesse sobre o que é preciso e o que dispensável no enxoval do bebê. Começo dizendo que essa questão é muito relativa, o que é fundamental para mim pode não ser para outra pessoa. Por isso, vou dizer como foi aqui e também vou fazer a pergunta no Instagram no Bate-papo da madrugada, que acontece sempre às 23 horas!

Sobre a gravidez

Na primeira gravidez queremos comprar tudo! É impossível passar por uma loja de bebê e sair com as mãos vazias. É muito difícil esperar o sexo do bebê para ir às compras.Por isso vou começar falando sobre isso. Com a minha segunda filha resolvi fazer o exame de sexagem fetal para saber do sexo antes e arrependi muito. O exame não é barato e plano de saúde não costuma cobrir, mas fiquei satisfeita em saber que era mais uma menina que estava chegando. Fiz com 8 semanas e com 12 fiz uma ultrassom de rotina para fazer o exame de Translucência Nucal. Nesse exame o médico “palpitou” menino, eu disse que havia feito o exame de sexagem fetal e o resultado tinha sido menina. Ainda assim o médico disse que era melhor eu esperar antes de comprar qualquer peça. Resultado, fiquei angustiada esperando o ultrassom às 16 semanas para confirmar se era mesmo menina, não quero nem mesmo chamá-la de Isabela com receio de que fosse um menino. Não adiantou nada esse gasto absurdo com o exame e ainda não ter certeza, por isso não faria novamente.

Sobre as roupas que compramos na gestação, é inevitável ter que comprar algo, depois de um tempo fica muito desconfortável e se sentir bonita faz muita diferença quando os nervos estão em frangalhos e suas costas doem. Acontece que roupas exclusivas para gestantes são muito caras! Na gravidez da Valentina não comprei nada específico, na gravidez da Isabela comprei demais, por isso posso aconselhar. Encontre um meio termo, não dá para usar trapos e camisas do marido a gravidez toda, mas gastar horrores com roupas que não serão mais usadas também é muito triste. Por isso invista em peças que poderão ser usadas no pós-parto. Dê preferência a vestidos em que a amamentação seja possível e batas que tenham abertura no seio. Invista em uma legging preta, mas não caia na tentação de comprar uma exclusiva para gestante, acredite, não tem nenhuma diferença (exceto no preço!). Uma calça jeans com elástico é razoável e no lugar de short jeans com elástico invista em shorts de malha larguinhos, eles são confortáveis e acompanharão toda a gravidez; além disso podem ser usados depois. Calças estilo Saruel, ou até mesmo outras de malha serão úteis e a deixarão bem arrumada. Comprei uma animal print que custou R$30 reais, usava com uma regata preta e continuo usando até hoje. Lojas de departamento como Renner, C&A e Riachuelo possuem linhas para gestantes e tem um preço mais em conta do que as marcas feitas para gestante.

Sobre o pós-parto

  • Detestei sutiãs de amamentação! Comprei alguns bem caros e ainda assim não achei que cumpriu seu papel. Gostei mais de tops confortáveis! Comprei vários da Lupo modelo Top Control, eles tem uma faixa abaixo do seio e sustentam muito bem.
  • Uma camisola bonita com abertura na frente e um roupão a farão se sentir bem nos primeiros dias quando sua casa fica sempre cheia de pessoas.
  • Não usei cinta, tentei usar mas me incomodou muito, mas essa decisão é muito particular. Algumas pessoas se sentem confortáveis, mas quanto a voltar ao peso, não existe nenhuma comprovação sobre isso.
  • Absorvente para pós-parto é desconfortável e desnecessário, os absorventes noturnos resolvem a questão.
  • Achei fundamentais as conchas-antiempedramento e a bomba elétrica para retirar leite. Contudo, a bomba foi importante para mim devido à hiperlactação, como ela não é barata acho que convêm esperar para ver se ela será realmente necessária.
  • Almofada para amamentação foi ótimo para mim no primeiro pós-parto quando eu não conseguia acertar a pega na amamentação, na segunda já não usei.
  • Sling: adoro! Com a Valentina quase não usei, mas com a Isabela usei muito. Agora ela não gosta mais, mas foi muito útil nos primeiros dias com duas crianças.
  • Um chinelo dois números maiores que o seu pode ser útil, os pés costumam ficar inchados nas últimas semanas e no pós-parto, não há necessidade de comprar uma pantufa caríssima que deixará seus pés fervendo.

Sobre o enxoval do bebê

Passamos agora sobre os objetos comprado para os bebês. Ressalto mais uma vez, que é particular e falarei sobre minha experiência com duas filhas.

  • Aspirador nasal é muito útil, mas preste atenção na flexibilidade da ponta. Se for rígida demais não vai ser bom, opte por com as pontas flexíveis. Eu usei um da Nuk e adorei!
  • Cortadores de unha para bebê são fundamentais, já é muito difícil cortar as unhas até mesmo com eles, imagina com outros maiores.
  • Brinquedos para o banho: tenho muito nojo. Certa vez cortei um e encontrei mofo dentro dele.E eu os lavava com água sanitária! Compre os que podem ser lavados por dentro ou que tenham a estrutura totalmente sólida.
  • Carinho: Cuidado na hora de escolher o carrinho! Muitas vezes você encontrará o carrinho do sonho que só assim será até a primeira vez que você for sair com o bebê. Fique atenta ao tamanho do porta-malas do seu carro para não desperdiçar dinheiro e depois correr para comprar um carrinho de passeio menor.
  • Tapete de atividades: eu não abro mão, distrai a criança quando a cadeirinha não funciona mais. Além disso, é ótimo para o desenvolvimento cognitivo e motor.
  • Cadeirinha de balanço: não é nada supérfluo! Usei muito com minhas duas filhas. Útil para deixar a criança enquanto você almoça, toma banho e algumas vezes a criança até dorme na cadeira.
  • Babá eletrônica: é fundamental! Mas não vale a pena comprar sem câmera. Invista em uma boa com visão noturna, ser colorida é desnecessário.
  • Termômetro de banheira: pode ser útil para algumas pessoas, eu acho desnecessário. Usando o cotovelo você consegue avaliar a temperatura da água.
  • Mala de maternidade: Cuidado na hora de escolher a bolsa para maternidade, não precisa comprar uma grande demais. Elas não caberão as suas roupas e as roupas do bebê de todo o modo. Melhor é levar as suas roupas em uma mala comum e comprar uma bolsa média, porque no dia a dia você não levará uma bolsa grande para os lugares. Lembre-se também que ela será a sua bolsa, quanto mais neutra melhor. Existem também opções que se parecem com bolsas femininas com várias repartições.
  • Banheira: banheira com suporte é imprescindível! Impossível dar um banho prazeroso com as costas doendo.
  • Móbile: muito caro, o bebê presta atenção por pouco tempo e a bateria não dura quase nada!
  • Kits de higiene: geralmente são muito caros e pouco usados, personalizá-los você mesma certamente sairão mais baratos e serão úteis na mesma medida. Cômoda específica com trocador é desnecessário e não é seguro, você conseguirá trocar o bebê lá por pouco tempo porque mais rápido do que você imagina ele começará a rolar de um lado para o outro, por isso é bem mais prático trocar na cama.
  • Bebês jamais calçarão todos os sapatinhos que compramos, mas ainda assim sempre compraremos. Difícil falar sobre isso! Porque achei desnecessário com a Valentina e ainda assim comprei alguns para a Isabela! Com a Isabela foi ainda mais complicado porque é muito difícil encontrar um sapato que sirva em suas bisnaguinhas. O que posso dizer é: contenha-se!
  • Fraldas de panos são muito necessárias, principalmente se seu bebê for do tipo que regurgita o tempo todo. Quase todos são assim! haha
  • Conjuntinho pagão deveria ser abolido dos enxovais. Enrola muito, sobe, desconfortável para o bebê e para você que terá que arrumar o tempo todo. Invista em Bodies!
  • Macacão com pé ou sem pé? Macacão com pé deixam o bebê mais quentinho, mas não se esqueça que eles duram um tempo menor.
  • Detesto luvas, eles saem muito das mãozinhas. Sempre preferi usar meias mesmos. Ficam bonitas? Definitivamente não. Por isso tenha luvas para sair e meias para usar em casa. Os pediatras não recomendam cortar as unhas dos bebês nos primeiros trinta dias, por isso mesmo que você more em um local quente talvez seja interessante ter luvas bem fininhas para impedir que o bebê se arranhe nesse primeiro momento.
  • Cuidado com a quantidade de roupas que compra, principalmente se for fazer chá de bebê. Bebês crescem muito rápido e você inevitavelmente comprará roupas que não serão usadas.
  • Falando em chá de bebê, fiz chá de bebê na gravidez da Valentina e chá de fralda na gravidez da Isabela. Adorei o chá de bebê, mas não gostei do chá de fralda. É complicado você especificar marca no convite, e mesmo que assim faça muitas pessoas não seguirão sua proposta. Tive muitos problemas com isso porque fraldas somente ficam boas na Isabela se tiverem elástico e quase nenhuma das que ganhamos eram assim. Além disso, sempre existe a possibilidade da criança desenvolver alergia. Na minha opinião não compensa financeiramente fazer chá de fralda, já o chá de bebê eu ganhei roupas para os primeiros seis meses! Mas é preciso saber organizar lembre-se de correlacionar os meses com a estação do ano.
  • É legal ter roupinhas diferenciadas, vestidos e suspensórios ficam fofos em bebês, mas lembre-se que não é confortável. Tente encontrar roupas que sejam confortáveis e bonitas. Saídas de maternidade são caríssimas e você pode montar uma com peças individuais tão bonitas quanto gastando no mínimo a metade do preço.
  • Não sei da onde que inventaram que não precisa comprar roupa RN. Minhas filhas nasceram grandes, Isabela nasceu com 3815Kg e usou RN por um mês.

Nunca usei:

  • Lençol para carrinho;
  • Colchonete para carrinho;
  • Capa de chuva para carrinho (quem sai na chuva com o carrinho?);
  • Esterilizador de mamadeiras (quando a Valentina começou a usar mamadeiras, comprei a da MAM que se auto-esteriliza);
  • Talco (não se usa talco em bebê);
  • Colchonete para carrinho;
  • Mosquiteiro.

Por fim, se quiser realmente economizar, na hora de comprar os móveis fuja das cores brancas. Todos os móveis são o triplo do preço porque são brancas. Ainda assim, você pode encontrar peças brancas em lojas populares que serão mais baratas só por não serem vendidas em lojas de bebês.

E sobre o segundo filho, usei praticamente tudo que ganhei da Valentina na Isabela. Como já queria ter outro filho perto, guardei tudo! As roupas são usadas por pouco tempo, elas continuam como novas.

E você que já é mãe, o que você acrescentaria aqui?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>