Peppa Pig: minha opinião sobre a porquinha rosa

Peppa Pig: vilã ou mocinha?

Muitas pessoas perguntam minha opinião sobre a Peppa Pig, por isso achei melhor fazer um post relatando o que acho dessa porquinha tão querida pelas crianças. Saliento, entretanto, que trata-se de uma opinião pessoal e que sendo opinião muitos podem concordar ou não. Não tenho a pretensão de ter uma opinião unânime em nenhum assunto.

Quem é a Peppa? Segundo a Wikipédia,

Peppa Pig é uma série britânica de desenhos animados para crianças em idade pré-escolar, produzida por Astley Baker Davies. Os desenhos contam a história de Peppa, uma porquinha cor-de-rosa que vive com seu irmão George e seus pais Papai Pig e Mamãe Pig em uma cidade fictícia. A série estreou em maio de 2004 e fez imenso sucesso, sendo distribuída pela E1 Kids para diversos países e dublada em vários idiomas. No Brasil, é exibida desde 2011 no canal a cabo Discovery Kids – sendo uma das principais atrações do canal.”

Diferente das grandes animações, a Peppa ainda utiliza aquele modelo antigo de desenhos, com o gráfico bem rudimentar, mas ainda assim ela consegue hipnotizar as crianças. Eu já tive aversão à Peppa, mas posso dizer que fiz as pazes com ela, mas ela não é meu desenho preferido. Mas como a Valentina já assiste coisas sem que eu esteja presente (casa do primo, na escola, casa de amiguinhos), eu achei melhor não proibir em casa.

A Peppa não é um desenho lá muito educativo. A Peppa é muitas vezes mal criada, fala do barrigão do papai, implica com o irmão e chamo o papai e a mamãe de bobinho. O George não gosta de tomar remédio, chora muito e não gosta de verduras. E os pais? Bom, papai pig e mamãe pig são muito pacientes, qualquer mãe ou pai diria. Peppa e George também acham super divertido pular em poças de lama. A princípio, eu pensava, porque um desenho vai ensinar coisas “erradas” a uma criança? Com tanto desenho educativo, que ensina a desenhar, matemática, português, inglês, astronomia, etc, porque eu vou deixar as meninas assistirem Peppa?

Bom, a essa altura talvez você já está cogitando cortar a Peppa da sua vida. Entretanto, preciso fazer algumas ponderações que cheguei depois de muita reflexão (sim, eu reflito sobre os desenhos animados), e não existe nenhum desenho que a Valentina assiste que eu não tenha assistido junto. Tenha essa preocupação você também.

Em primeiro lugar, precisamos parar com essa necessidade desenfreada de qualquer coisa educativa. Algumas coisas são estritamente lazer! Não estou dizendo que você não precisa se preocupar com esses fatores, estou dizendo apenas que muitas vezes esquecemos que crianças precisam ser crianças. Você se lembra da sua infância? Você assistia desenhos educativos? Bom, na minha época (e provavelmente na sua), nós assistíamos a Xuxa chegar de nave espacial e ficávamos impressionados com o café da manhã que ela tomava. E cá estou eu, divagando e filosofando sobre desenhos animados. Não fiquei “desculturada”. Algumas preocupações atuais são necessárias, outras nem tanto.

Peppa fala do barrigão do papai, e isso não é nenhuma mentira. E sabemos que crianças falam sim coisas sem pensar e nos colocam em cada situação… Precisamos pensar também, que existe um contexto cultural. Como dito anteriormente, Peppa é um desenho britânico. Na língua inglesa, o que Peppa diz é “silly daddy”, que lá pelas bandas da rainha não é visto como pejorativo, como é aqui.  No Reino Unido é comum dizer-se aos amigos e até aos pais “Silly you!” sem que isso seja visto como um desrespeito. Poderiam ter alterado isso na dublagem? Poderiam, mas não fizeram, e isso certamente teria diminuído inúmeras críticas sobre a Peppa. Mas o fato, é que cá entre nós, bobinho não é nenhum xingamento. Mas você pode usar a Peppa como modelo para educação. Quando assistir o desenho com o seu filho, combine com ele que ensinará a Peppa que não pode chamar o papai de bobinho. Isso porque certamente seu filho presenciará xingamentos reais, e a assistir a Peppa pode ser um bom treinamento para ensiná-lo que nem tudo que ele ouve é certo. Ah, falei de um ponto importante ali atrás. Alguns desenhos você pode deixar o seu filho assistir sem sua presença, eu não tenho babá e nem ajudante, por isso em muitos momentos preciso deixar a Valentina assistir um desenho sem minha presença. Mas Peppa não é um desses desenhos! Veja bem, não estou dizendo que você pode deixar o seu filho assistir alguma programação por horas a fio! Não! Mas é claro que todos nós temos atividades corriqueiras e nem sempre conseguimos sentar no sofá com nossos filhos o quanto gostaríamos, mas selecione o que o seu filho assistirá nesse momento.

Sobre a Peppa ser mal criada e implicar com o irmão. Sim, isso acontece em quase todos os episódios. Mas isso porque eles são irmãos! E isso acontece em todas as famílias. Mas no final, eles sempre se acertam e todos dão risadas.

peppa george brincando

Há muitas controversas, mas pelo que parece Peppa tem aproximadamente 4 anos, e quem já vi uma criança de quatro anos sabe que age exatamente como a Peppa. E o George? Bom, o George não gosta de tomar remédio, como a maioria das crianças de 2 anos. Mas no final das contas, ele toma! Eu conheço muitos adultos que não gostam de tomar remédio também, mas tomam. Você ainda insiste em dizer que “criança não tem que querer”? Atualize-se. Criança tem muitos “quereres” sim! Isso é inevitável no mundo em que vivemos. Insistimos e educamos para que elas sejam pessoas críticas e questionadoras, e isso acontece também com os remédios. É contraditório ensinar aos nossos filhos que eles devem ser seres reflexivos e querer que eles aceitem tudo sem questionar. Quando seu filho dizer que não gosta de tomar remédio (ou quando você assistir o desenho junto com o seu filho), aproveite o gancho para falar que você entende que ele (a) não gosta, mas que é necessário e que muitas vezes temos que fazer coisas que não gostamos porque precisamos.

Sobre o George não gostar de verduras, isso é realmente lamentável! Mas no final ele sempre come. Entretanto, quando percebemos em um contexto maior, e não pensamos só em um episódio, tem alguns episódios interessantes para refletirmos sobre a alimentação da família pig:

  • Em um episódio, Peppa e George vão almoçar na casa dos avós. Os dois ajudam vovô Pig a colher legumes e verduras na horta, posteriormente eles são transformados em salada pelas mãos da vovó Pig.

peppa salada

  • Mamãe Pig cozinha em casa e os doces aparecem apenas em ocasiões especiais, como os aniversários por exemplo. Em geral, saladas e frutas estão sempre presentes.
  • Família Peppa costuma fazer piqueniques com alimentos saudáveis.

peppa piquenique

  • Em um episódio, George não quer comer cenouras, mas de uma forma alternativa e lúdica ele decide comer.

Ainda sobre o George não gostar de verduras, crianças desde sempre não gostam de verduras. E o fato do Pernalonga ter sempre uma cenoura à mão não mudou isso em outros tempos. Saliento novamente, que você precisa conduzir o que o seu filho está assistindo e fazer as ponderações quando necessário.

Sobre pular em poças de lama? Isso eu não consigo ver como um problema real. Crianças brincam mesmo! Eu já pulei muito em poça de água na rua! Pra falar a verdade, quando chovia eu adorava brincar no quintal. Crianças brincam mesmo! Que atire a primeira pedra quem nunca colocou uma toalha nas costas e fingiu ser um super-herói. Super normal!

Faltou alguma coisa? Ah sim, faltou. A paciência da mamãe e do papai Pig. Realmente, é um pouco além da conta, mas vejo eles como um exemplo. Quem dera eu ter 1/3 da paciência da mamãe Pig! Eles deixam muita coisa passar, mas vejo isso como flexibilidade. Nem todas as batalhas precisam ser levadas adiante com os nossos filhos, de fato, precisamos escolher o que é realmente importante para não viver em um campo de guerra.

Finalizo falando novamente que Peppa não é meu desenho preferido, e que como disse, Valentina só assiste quando posso acompanhar e fazer as ponderações durante o desenho. Devemos tomar esse cuidado, até onde queremos deixar as crianças assistindo desenho sem ter que nos preocupar com eles? Até onde queremos ter o menor trabalho possível? Além do mais, enquanto as crianças são bebês nós conseguimos de certa maneira limitar o que eles escutam e veêm, mas quando passam as crianças vão para a escolinha ou quando começam a ter contato com outras crianças não temos mais esse controle total. Por esse motivo, eu vejo a Peppa pig como uma oportunidade em níveis leves de “treinar” isso com a criança. É bacana você mostrar para a criança que nem tudo que outra criança fala é legal, e que ela mesma pode ter um olhar crítico quanto a isso. Peppa pig continua não sendo meu desenho preferido, mas ela deixou de ser uma inimiga e passou a ser uma aliada na educação que ofereço para as minhas filhas. Acho que no geral, passa a imagem de uma dinâmica familiar real e divertida, os pais são participativos e gosto desse contexto familiar que envolve os avós.

família peppa

5 thoughts on “Peppa Pig: minha opinião sobre a porquinha rosa

  1. Ana Paula P Santos

    gostei muito do seu artigo. Assisto Peppa pig com minha filha de quatro anos. Tem muitas ‘desobediências’ que encaro como sendo da idade da criança mesmo. E sempre tenho conversado com minha filha. Não sei até que ponto um desenho animado pode influenciar o comportamento da criança para pior ou melhor. Vou fazer assim como vc : orientar com os diferentes episódios o que é legal ou não.

  2. Lu Santos

    Achei seu post bacana. assisti e assisto peppa com meus dois filhos um menino de 3 e uma menina de 2. eles adoram! Já assisti todos os episódios trocentas vezes e digo peppa não faz mal pra nenhuma criança. As crianças gostariam que suas famílias fossem como a da peppa. Que os pais soubessem educar com tanto amor e carinho como o papai e a mamãe pig. Peppa e George são muito educados cuidam dos bichos, fazem horta, reciclam, são obedientes, falam por favor, obrigado e com licença e são muito gentis. o que as pessoas falam de ruim de peppa são coisas normais para crianças da idade. Meus filhos não sao mau educado. Quem dera todas as criancas do mundo fossem como peppa e George. Teríamos um futuro muito melhor!

  3. DEBORA

    Olá!
    Gostei muito do seu post.
    Minha filha adora a Peppa Pig e sempre vejo com ela também.
    Apesar da Peppa ser mal criada, ela é muito participativa, assim como toda a família, vemos sempre todos juntos, participando, como uma família deve ser, ainda mais no dias atuais que tudo é eletrônico, ninguém participa de nada, mal se falam.
    Acredito que este desenhos tem seu lado positivo também, basta que nós pais façamos a ponte entre o que é visto e a realidade.

  4. Amanda Souza

    por isso que eu prefiro show da luna , ao inves de pepaalert()

  5. Nelson

    Parabéns pelo artigo. Sensato, foi uma gota de sanidade num mar de silogismos e falácias que encontramos na internet. Tenho uma filha de dois anos. Eu e minha esposa somos professores há quase 30 anos. Gostamos muito da Peppa Pig. Um desenho que mostra crianças não reprimidas e pais presentes e atenciosos. Coisa rara dentro e fora da TV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>