Qual método contraceptivo utilizar depois do parto?

Qual o métodos contraceptivo pode ser utilizados no pós-parto?

São raras as mulheres que querem engravidar no pós-parto, além disso, a maioria dos obstetras recomendam o prazo de um ano para uma nova gravidez depois de um parto cesariana. Apesar da amamentação em alguma mulheres inibir a ovulação, isso não é válido para todas. Inclusive, uma mulher que ainda não menstruou pode engravidar e a menstruação nem sequer acontecer. É impossível saber quando a mulher voltará a ovular, por isso a importância de escolher o método contraceptivo que se adapta melhor à vida do casal. Infelizmente, nem todos os métodos são seguros nessa fase, como os naturais (tabelinha, método billings, etc).

Por que o casal deve evitar relação sexual nos primeiros quarenta dias?

Alguns casais não respeitam a quarentena, porque acreditam que trata-se apenas de uma prevenção para uma gravidez não planejada. Isso não é verdade, existem tecidos que devem ser cicatrizados, seja em uma cesariana ou até mesmo em um parto normal.

Segundo a página Bebê Abril:

“É bom lembrar que, além do processo de retornar ao tamanho normal, o útero está se recuperando também das lesões que sofreu durante o parto, seja pelo corte durante a cesariana, seja pela ruptura da placenta, que deixou ali uma ferida aberta. E essa ferida deve ser cicatrizada por completo. “A relação sexual machuca o útero. Além disso, o pênis empurra, lá para dentro, as bactérias presentes na vagina. Como a cavidade uterina é estéril, sem bactérias benéficas para defendê-las de micro-organismos invasores nocivos, há contaminação”, explica o médico. “Para completar, as lesões nessa área, que causam o sangramento pós-parto, permitem ainda a passagem das bactérias para a corrente sanguínea, podendo deflagrar uma infecção grave em todo o organismo”. É por causa disso que os médicos também desaconselham banhos de imersão nesse período, uma vez que as bactérias presentes na água penetram pela vagina. Vem daí, aliás, o antigo costume de as mulheres não tomarem banho durante o puerpério.”

Qual método contraceptivo pode ser utilizado no pós-parto?

São várias os métodos contraceptivos que podem ser utilizados nesse período, são eles:

Preservativo

método contraceptivo camisinha

O preservativo é considerado um excelente método nesse período porque previne, não interfere na amamentação, não tem efeitos colaterais e o mais importante: previne também contra doenças sexualmente transmissíveis. Existe a camisinha masculina, que sem dúvida é a mais utilizada, mas existe também a camisinha feminina que apesar de ser mais cara e mais difícil de ser encontrada também é uma opção tão segura quanto a camisinha masculina.

Diafragma

método contraceptivo diafragma

Esse método contraceptivo precisa ser prescrito pelo médico ginecologista, porque é necessário medir o tamanho do colo do útero. Assim como a camisinha, ele é um método de barreira e por isso os efeitos colaterais são reduzidos. Mas, diferente da camisinha não protege contra doenças sexualmente transmissíveis.

Para que ele seja mais eficaz, o ideal é que ele seja utilizado juntamente com um espermicida. É considerado barato, já que ele pode ser utilizado outras vezes depois de lavado corretamente.

Pílula anticoncepcional de progesterona

método contraceptivo pílula progesterona

As pílulas tradicionais possuem progesterona e estrogênio, entretanto a o estrogênio não é recomendado para quem amamenta. Por esse motivo, nessa época o recomendado é a pílula somente de progestágeno (hormônio sintético semelhante à progesterona). Usada corretamente, ela é tão segura quanto a pílula de hormônios combinados.

Ela deve ser utilizada depois de seis semanas após o parto de forma contínua,  por isso algumas mulheres não menstruam enquanto estão utilizando-a. Algumas mulheres tem pequenos sangramentos durante o uso e outras que reclamam também que a libido (desejo sexual) diminuiu. Converse com o seu ginecologista sobre os efeitos colaterais desse método contraceptivo.

Injeção de progesterona

método contraceptivo injeção progesterona

Conhecida como Depo-provera, é um método que anula a possibilidade de esquecimento, já que nesse período é normal o cansaço causar efeitos na memória. Pode ser administrada mensalmente ou a cada trimestre e é utilizada por mulheres que amamentam e também por não lactantes.

Da mesma maneira que a pílula de progesterona também é recomendado esperar as primeiros seis semanas depois do parto para que a produção de leite esteja regular. Algumas mulheres recomendam do aumento de peso e outras que demoraram muito para engravidar depois que interromperam o uso. Converse com o seu ginecologista sobre os efeitos colaterais desse método contraceptivo.

Diu

método contraceptivo DIU

O DIU é um método contraceptivo intrauterino (colocado dentro do útero), em forma de T. Ele é inserido pela vagina e colocado no útero para que impeça os espermatozoides de passarem pelas tubas uterinas, que é onde normalmente ocorre a fecundação. Apesar de ser um método relativamente caro, é eficiente e duradouro já que a mulher pode permanecer com o mesmo DIU por anos. Ele deve ser aplicado no consultório ginecológico, preferencialmente com uso de anestesia (mas pode ser aplicado sem anestesia também).

Existem dois tipos de DIU:

→ Sem hormônio: Também conhecido como DIU de cobre, porque normalmente é revestido de fios de cobre. Pode ter a duração de até dez anos. Algumas mulheres afirmam que a cólica ficou mais forte depois que começaram a utilizar o DIU sem hormônio.

→ Com hormônio: Conhecido também por Mirena, da mesma forma que o DIU de cobre forma uma barreira para os espermatozoides. A diferença é que além da barreira também libera pequenas quantidades de progesterona, mas diferente da pílula esse método contraceptivo possui efeitos colaterais mais amenos.

Implante

método contraceptivo implante

Pouco conhecido entre as mulheres, o implante é uma espécie de bastão inserido debaixo da pele do braço que libera pequenas doses de hormônio sintético que se assemelha à progesterona. Da mesma forma que o DIU também precisa ser aplicado no consultório ginecológico com o uso de anestesia local. A duração é de até três anos e não é considerado um método barato.

 Métodos definitivos

métodos contraceptivos definitivos

Além de todos os métodos citados, existem também métodos definitivos como a laqueadura e a vasectomia.

Esse post é apenas uma breve descrição dos métodos contraceptivos disponíveis, a escolha do casal deve ser realizada com o auxílio e instrução de um médico ginecologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>