Segundo filho: O que esperar do primeiro mês

O que esperar dos primeiros dias com o segundo filho em casa?

mulher-louca-2df

Espere o inesperado. Exatamente assim, o que eu disser aqui não corresponderá à sua experiência, resista àquela necessidade que temos de controlar as coisas e as pessoas. Liberte-se das altas expectativas, principalmente em relação ao filho mais velho. Esqueça aqueles lindos ensaios newborn com irmãos mais velhos acariciando o segundo filho e a mãe emocionada! Isso só acontece em fotos. Na realidade a mãe está lá tremendo de medo do mais velho deixar o bebê cair!

Quando cheguei em casa, combinamos de que a minha sogra daria uma volta com a Valentina para que eu pudesse deitar e segurar a Isabela no colo. Temia que ela viesse correndo ao meu encontro e eu não conseguisse ampará-la. Lá veio ela então com um vaso de flores subindo na cama, tropeçou, quase caiu na Isabela e eu vi o que me aguardava. Essa foi a minha maior preocupação no primeiro mês, que a Valentina machucasse a Isabela. Quando você volta com um bebê nos braços e olha para o seu filho mais velho, ele parece ainda maior! Eu pensava na moleira ainda aberta, pensava nas costinhas, no corpinho frágil da Isabela e quase surtava. Quando temos um bebê sempre tememos que as crianças maiores os machuquem (até sem querer), e quando a criança maior é sua também? Putz, é uma confusão de sentimentos. Teve uma vez que eu me senti péssima porque a Valentina Ia cair em cima da Isabela e eu no instinto empurrei a Valentina e quem caiu foi ela. Inundada de hormônio, chorei horrores! Naquele momento passou por minha cabeça que eu tinha feito uma escolha, mas não se trata disso! É um ato instintivo e temos mesmo a tendência natural de proteger um recém-nascido, não se culpe quando isso acontecer!

Eu lutei pelo meu parto normal, não somente pela Isabela mas pela Valentina também. Eu queria muito estar bem para cuidar das duas. No mundo dos meus sonhos, eu estaria super disposta, a Isabela iria mamar e dormir (como quase todos os bebês recém nascidos fazem) e nesse meio tempo eu ficaria com ela. Mas, não foi assim. Isabela ficava a noite INTEIRA acordada, feito uma corujinha! E de dia não dormia também por muito tempo. Eu me arrastava de sono durante o dia e não conseguia nem conversar, quem dirá brincar! Tenho a pressão muito baixa e tive uma perda de sangue acentuada por isso fiquei muito fraca nos primeiros quinze dias, além disso, tive uma laceração no períneo de segundo grau por isso não era lá muito cômodo ficar andando ou até sentar na primeira semana. É por essas e outras, é que eu insisto em dizer: não crie expectativas. Só se frustra quem alimenta sentimento irreais.

É lindo, é mágico, é algo sobrenatural ver seus dois filho um perto do outro, mas é caótico também. Você pensa mesmo que não vai aguentar, sinceramente me senti no olho do furacão!  Eu fiquei a louca do google, pesquisava todos os termos possíveis sobre segundo filho, adaptação, ciúmes, etc. Mas eu não encontrava nada! Eu pensava, caramba, eu sou uma fracote mesmo, só eu que estou achando tão difícil assim? E então eu resolvi criar o Mamãe Duas Vezes! Minha surpresa (e alívio) foi encontrar outras pessoas que passavam pela mesma situação.

Por isso, se você foi uma dessas pessoas que buscou no google algo sobre o segundo o filho, não se preocupe! Essa turbulência é normal e vai passar.

Um bebê exige muito, muitas fraldas para trocar, banho ainda desajeitado, umbigo para curar e muitas mamadas por dia. E quando tem outra criança que também precisa dos nossos cuidados? Você não consegue suprir todas as necessidades e se sente mal por isso. Sentimos muita saudade do mais velho, mesmo morando na mesma casa. Nesses momentos precisamos de ajuda de amigos e familiares, não com segundo filho, mas com a criança mais velha que está carente de atenção. É algo bem doloroso de ser feito, porque a sensação que temos é que estamos abrindo mão do mais velho, mas esse desapego é importante para toda a família. Eu acabei esquecendo de uma apresentação da Valentina, pensa? Acontece, não adianta se martirizar por isso. Vejo como um aprendizado, aprendemos a ser mãe de um, quando nasce o segundo teremos que aprender como ser mãe de dois e assim sucessivamente. A cobrança maior vem sempre de nós mesmas.

As pessoas perguntam sobre o ciúme do mais velho, e eu, particularmente não vejo exatamente como ciúmes. O que eu percebo é que o mais velho sente falta da atenção, do tempo, do espaço. Ele pensa nele, não pensa que o caçula tirou algo dele. E crianças são sedentas por atenção! Se você não consegue suprir essa necessidade ela vai encontrar outra forma de ser vista. E por mais que você tente, dificilmente conseguirá suprir! Aí começam as birras, a criança começa a acordar a noite, às vezes regride na questão do desfralde, esteja preparada para isso, é provável que tudo isso aconteça, é normal e esperado uma adaptação por parte da criança também. Tome cuidado  para não comparar o mais velho com o bebê e assim colocá-los um contra o outro e se possível converse com os familiares mais próximos sobre isso. Muitas pessoas conseguem deixar uma situação mais difícil do que ela já é.

Para finalizar, quero deixar aqui algumas dicas que foram úteis para mim:

  • Use sling, ele fará muita diferença na sua vida com dois filhos! Com ele eu conseguia ficar com a Isabela no colo e brincar com a Valentina. Uma boa ideia é brincar de pique-pega com o maior. O caçula dorme com o sacolejo e o primogênito adora a brincadeira.
  • Separe alguns brinquedos específicos interessantes como quebra-cabeça para a criança brincar sempre que você estiver amamentando. Guarde depois para que ele não fique desinteressante.
  • Não hesite em pedir ajuda, não queria ser a mulher-maravilha. Se puder garantir essa ajuda para o primeiro mês quando estiver grávida melhor ainda.
  • Não se culpe por dormir no lugar de brincar com o mais velho, você precisa dormir. Isso é vital para a sua saúde, para a amamentação. De que adianta ficar doente ou mal humorada enquanto está com o mais velho?
  • Mesmo no primeiro mês invente algo para fazer só com o mais velho, eu comecei a fazer bolo com a Valentina no domingo nessa época.
  • Invista em uma cadeirinha de descanso, ela ajuda muito com um filho, com dois então!
  • Não fique bitolada com rotina, viva um dia de cada vez.
  • Insira o mais velho na sua rotina com o bebê, como “ajudar” no banho, na troca de fralda, mas não se ressinta e também não o obrigue a participar.
  • Se aceite descabelada, de pijama e pantufa o dia todo, logo você se sente melhor. Resista às pressões da sociedade para manter sua saúde mental em dia. O corpo demora mais para voltar na segunda gravidez também, preocupe-se em alimentar-se de forma saudável e beber muita água. O resto vem com o tempo!
  • Com o segundo filho tudo passa mais rápido, não deixe de observar a beleza que é ter um recém-nascido em casa. Por mais que pareça difícil, pare, respire, sinta o cheirinho e observe.
  • Permita-se tomar um banho de qualidade, ter cinco minuto a sós pode fazer milagres no seu dia.
  • Não perca uma oportunidade de fazer xixi, você nunca sabe quando outra irá aparecer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>